25.3.11

Perguntas cretinas: Daniel Massa

Mais um dos habilidosos skatistas criado nas ruas de Ribeirão Preto, Daniel Massa foi além do ‘acertar manobras’, o que ele sabe fazer muito bem. Enxergou na produção de vídeo a oportunidade para mostrar ao Brasil (e ao mundo) o quanto o skate é representativo no interior paulista. Em parceria com o Cebola, ilustrador e também skatista, surgiu o projeto sk8vervídeos.

Massa e o estúdio Sk8vervídeos

E foi em uma das sessões para o vídeo-blog que acabou filmando o tombo mais cruel de sua vida: a torção do joelho que lhe custará uma cirurgia e um bom tempo em recuperação. Mas isso não abate Massa, ele está captando imagens inéditas para em breve lançar um vídeo com parte dos skatistas mais representativos da nossa região. É esperar para ver! Enquanto isso não acontece, o VIA fez algumas perguntas cretinas a ele, que você confere agora.

Nome: Daniel Orsolino Massa
Idade: 21 anos
Cidade natal: Ribeirão Preto/SP

1) Massa é apelido ou sobrenome?
Massa: Sobrenome e apelido.

B/s heel flip contorcido

2) Quando você viu o skate pela primeira vez na sua vida?
Massa: Foi em 2001 na rua de casa, tinha uma galera que já andava por lá.

3) Logo levou o skate a sério ou demorou um pouco?
Massa: Dos 10 aos 15 anos não tinha liberdade pra sair na rua de casa e também não trabalhava na época, por isso não conseguia mantêr meu skate. Depois que começei a tabalhar, só penso em investir no skate.

B/s hurricane

4) Como era a cena em Ribeirão Preto quando você começou?
Massa: Quando começei a fazer as primeiras sessões, ia para a UBS, uma quadrinha com obstáculos feitos pelos próprios skatistas locais. Às vezes frenquentava a pista da InterSP e algumas pistas de cidades vizinhas, onde cheguei participar de alguns campeonatos. Um pico de rua onde todo mundo andava na época era o CPC (Centro Popular de Compras), em frente a Rodoviaria.

Flipão colado

5) E como você vê o cenário local atualmente?
Massa: Acho que está bem legal! Têm vários nomes aqui da cidade se destacando no cenário nacional, está acontecendo mais eventos envolvendo o skate. Só está faltando uma pista pública de street que suporte o nível dos skatistas daqui.

7) O fato de sua cidade ser centro regional (600 mil hab.) e ainda não ter uma pista público de street interfere em quê?
Massa: Acho que impede a evolução constante dos skatistas e no surgimento de novos nomes e adeptos.

Gap b/s flip

8 - E o lance de ser skatista no interior do Brasil, atrapalha de alguma forma?
Massa: Não atrapalha! Sempre andei, filmei e acabei me adaptando aos picos e situações daqui. Quem mora no interior só fica um pouco distante da mídia.

9 - Ribeirão é forte nas baladas. Qual você costuma ir com mais frequência?
Massa: Frequento o Vila Dionísio, um Pub de rock tradicional aqui da cidade.

B/s tailslide no controle

10 - A cidade também tem fama de ser farta em picos de rua, é verdade?
Massa: Na verdade agora é que estão surgindo picos novos na cidade. Os mais conhecidos já estão bem precários. Atualmente também surgiram algumas praças com um espaço legal para se andar.

11 - Recentemente você sofreu uma torção ferrada no joelho. Como aconteceu?
Massa: Em setembro de 2010 estava na sessão em uma escola pública, pra andar e filmar. Parei de filmar e fui pular uma escada de b/s flip, quando na queda cai errado e rompi o ligamento cruzado do joelho esquerdo. Agora no mês de março vou passar por uma cirurgia, depois vou ficar seis meses fazendo fisioterapia e fortalecimento. Acredito que no final de 2011 volto a andar de skate novamente.


12 – Atualmente você mantêm o blog sk8ver.blogspot.com, que traz vários vídeos de skate local. Quando e por que surgiu a ideia?
Massa: Em janeiro de 2010, quando o Fabrício Carlos (Cebola) chegou na sessão com uma cyber shot, tivemos a ideia de fazer um video para mostrar o skate da nossa região. Na hora inventamos o nome e começamos a filmar e editar nossos próprios vídeos. Depois com o tempo comprei uma camera HD e com ajuda do Glauber da Cruz fizemos uma adaptador para usar uma lente grande angula. Foi quando a galera animou mais ainda em sair pra filmar todos os dias e é isso que estou fazendo atualmente. Estou colentando várias imagens para em breve lançar um vídeo bem style.

Switch f/s heel bigspin

13 - Como os vídeos são feitos e quem são os responsáveis pelo projeto?
Massa: Nós gravamos nas ruas e em algumas pistas da região. Eu e o Cebola somos responsáveis pelo blog e contamos com ajuda de vários amigos que estão sempre no rolê ajudando a filmar, fotografar e divulgar os vídeos.

Crooked noturno

14 - Qual vídeo de skate você gostaria de ter feito?
Massa: Gosto bastante dos trabalhos de Spike Jonze.

15 – E ter uma parte de ação?
Massa: Gostaria de ter participado do vídeo Favela em ação.

F/s smith na mureta da Caixa

14 - Dos vídeos que você fez, qual você mais curte assistir?
Massa: Assisto todos, várias e várias vezes. Sempre na intenção de achar erros pra acertar nos próximos. Gostei mais do Sk8ver Flip (abaixo).


15 - O que você faria da vida se não fosse skatista?
Massa: Seria nerd, rs.

É isso Massa, o VIA agradece sua paciência e deseja uma boa recuperação. Que você volte logo a dar os rolê pesado de sempre!